Sem

Me jogo muitas vezes sem pensar. Quando minha intuição fortalece meu desejo, me torno impulsivo. Basta acreditar que vale a pena e lá estou. Sem muitas reflexões. Só sentimento.


Mas ao mesmo tempo me sinto cada vez menos sentimental. Os anos passam e vou endurecendo. Cada vez mais. A rigidez interna é a causa do peso que sinto.


Será que todos nós passamos por isso? Criamos esse funil que estreita a passagem dos sentimentos e, por mais diversos que sejam no início, acabam por se misturar e gerar essa sensação cinzenta no final?


Hoje estou convencido que esse sentimento ainda carrega as nuances do sentimento original, mas tem a sua própria forma de se expressar. Por enquanto ele permanece sem nome. Até mesmo sem cheiro, calor ou som. Sei que é cinza e sólido, mas não tenho um modo apropriado de descrevê-lo.


Talvez, eu o chame de "Sem", não sei.


O pior de tudo é que nem me lembro mais como é estar plenamente triste, feliz, com medo ou raiva. Até mesmo quantos sentimentos já vivenciei. O Sem me transformou em um ser impressionável.


Quando algo acontece, é Sem-Feliz, Sem-Medo, Sem-esperança. Sempre isso.


Sem, sem, sem...